JDL anuncie

Grupo de artistas de Ubatuba transforma pontos de ônibus em obras de arte

Facebook Twitter

PMU

Grupo de artistas de Ubatuba transforma pontos de ônibus em obras de arte

O Néctar Caiçara reúne profissionais de diversas áreas como  professores, tatuadores, veterinários  


Esperar pelo transporte coletivo em Ubatuba está muito mais agradável. Em alguns pontos, espalhados pela cidade, é possível fazer desse momento um período de contemplação de arte e cultura local.

Isso só está sendo possível a partir da iniciativa de um grupo chamado Néctar Caiçara – um coletivo de artistas dispostos a levar a arte, na sua essência, ao alcance de todos –, enfim, o néctar da arte.

Ser do grupo setorial de artes plásticas da Fundação de Arte e Cultura (Fundart), foi uma mera coincidência, já que o trabalho é independente – com objetivo de desvincular a iniciativa do coletivo e das ações que já acontecem. Porém, só reforça o interesse e comprometimento dos integrantes com a arte.

Cristiano Vieira Mendes, o Tiano Mendes; Jeferson Guedes, o Jeferson Godbless; Fernanda Brito, a Nanda Ramona;  Fernando Viviani e  Adriano  Santos, o  Adriano Art ,são os responsáveis pela iniciativa. O grupo reúne uma diversidade de profissões entre  veterinário, tatuador, professor – em sua maioria caiçara –, somente Nanda e Fernando vieram de São Paulo.

Ação

O projeto nasceu em um dia comum, quando saíram de um encontro e, simplesmente, resolveram pintar. A ideia inicial era um muro, mas lembraram do ponto de ônibus da avenida Iperoig e logo combinaram o início da pintura.

Atualmente, já foram contemplados os pontos da avenida Iperoig, Marafunda (Oswaldo Cruz), Itaguá (Rua Capitão Felipe) e avenida Rio Grande do Sul. O do Pereque Açu foi executado por meio de parceria, alguns outros artistas foram contagiados pela iniciativa do grupo a começarem o trabalho. Desta maneira, integrantes do Néctar também foram convidados para colaborar na pintura do local.

Criação

Os artistas confessam não existir um desenho prévio, a ideia simplesmente flui. Cada um já sabe o estilo do outro e o que ou em qual espaço pode se encaixar. “As linhas de trabalho se encaixam muito fácil e conseguimos nos conectar”, comentou Jeferson.

Os elementos, geralmente, representam muito da cultura local, como flores, pássaros e figuras tradicionais, como o pescador. Todos buscam transmitir a essência de Ubatuba e valorizar a natureza. Porém, o objetivo é que quem olhe não enxergue uma obra fragmentada e, sim, uma única obra de arte. “A mensagem maior não é de fragmentar, mas sim, de unir”, dizem. Além disso, o Néctar busca respeitar as questões cromáticas. “Por exemplo, se o ponto é azul, que é uma cor mais fria, a gente esquenta”, explicaram os pintores.

Todos os integrantes reforçam haver um incentivo mútuo e que não existe alguém com o desejo de se destacar mais. “A gente se respeita e tem uma liberdade muito grande, inclusive, para dar sugestões e opiniões. Temos uma admiração um pelo outro.”

Espontaneidade é a palavra que define

Eles aliam suas rotinas de trabalho com os momentos em que podem dedicar à pintura. Geralmente, cada um vai em um horário distinto. É muito difícil reunir todos pintando simultaneamente; é raro, mas acontece, principalmente aos finais de semana.

Todas as ações são encaradas como diversão, o que não significa que não haja seriedade no trabalho. Em média, a pintura leva de seis a oito horas para ficar pronta, mas devido à conciliação de horários, pode acontecer de demorar um pouco mais.

São utilizadas técnicas diferenciadas:  Adriano, Tiano e Nanda usam mais o latex; Fernando trabalha com aerografia (compressor de ar), e Jefferson com caneta e spray. Geralmente, após finalizado, passam resina por cima,  pois o látex descasca ou suja com muita facilidade.

O impacto na sociedade

O grupo vem comemorando as reações das pessoas perante as pinturas. “A receptividade da população tem sido muito boa e ficamos felizes, pois o objetivo é de colocar alegria no dia delas. Muitos elogiam, buzinam, interagem com a gente enquanto estamos pintando. É muito gratificante”, comemoraram.

“Talvez a gente nunca sente no ponto de ônibus devido a nossa rotina, mas diariamente, muitas pessoas ficam por 40, até 50 minutos no local, esperando o transporte”, lembrou Fernando.

“Essa é a porta de entrada para muitas pessoas terem contato com a arte plástica de fato”, acrescentou Adriano.

Não para por aí

A intenção é contemplar mais pontos. Além disso, existe um desejo de, também, realizar trabalhos em escolas públicas. Eles destacam que querem continuar nesse esquema de doação, oferecendo o trabalho e materiais, e que o foco seria promover a ação em escolas mais distantes e carentes. “Com uma grande brincadeira demos o primeiro passo, mas desejamos que as pessoas também interajam. Não fiquem esperando de nós. Estamos fazendo nossa parte. Existem outros grandes artistas que também podem promover ações. A ideia foi uma iniciativa para mobilizar as pessoas e queremos deixar um legado”, frisaram. “Não temos bandeira  (religiosa, política),  nossa ideologia é a arte. Não queremos associar nossa imagem a ninguém”, acrescentaram.

O Néctar Caiçara reforça que as ações são promovidas por meio de trabalho social de doação. Entretanto, caso haja empresários interessados, podem procurar os artistas para conversar.



Jornal do Litoral
Alemazzoni

Compartilhe e faça seu comentário