São Sebastião - Agosto 2021

Nesta quinta-feira (30) haverá segunda dose para vacinados com Pfizer ou Astrazeneca e agendados até 30/09

Facebook Twitter

pmss

Nesta quinta-feira (30) haverá segunda dose para vacinados com Pfizer ou Astrazeneca e agendados até 30/09

A Prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria de Saúde (SESAU) e da Fundação de Saúde Pública (FSPSS), comunica que, nesta quinta-feira (30), das 8h30 às 11h, haverá aplicação de segunda dose contra Covid-19 para vacinados com Pfizer ou Fiocruz/Astrazeneca e agendados na carteirinha de vacinação até 30 de setembro.

Para completar a imunização, o munícipe que recebeu Astrazeneca deve retornar ao local onde tomou a primeira dose, enquanto os vacinados com Pfizer precisam se dirigir ao Polo da Enseada (UBS - Rua Maximiliano Santos, nº 38). Em Maresias, o polo de vacinação será no Parador, na Avenida Dr. Francisco Loup, n.º 357 (em frente à Padaria Elite).

É obrigatório apresentar carteirinha de vacinação, CPF e um documento com foto. Caso morador de São Sebastião tenha tomado a primeira dose em outro município, deverá apresentar, também, comprovante de endereço.
Quem perdeu o comprovante em papel oferecido ao receber a primeira dose da vacina deve baixar o aplicativo Poupatempo Digital ou o Conect SUS, acessar a carteira de vacinação digital e fazer a impressão do comprovante. Mais informações AQUI.
 
É obrigatório respeitar os protocolos sanitários, como uso de máscara, uso de álcool em gel 70% e distanciamento social.
Astrazeneca poderá ser substituída por Pfizer
 
A SESAU comunica que, seguindo diretiva da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, poderá vacinar com Pfizer pessoas que estiverem com a 2ª dose da vacina Astrazeneca atrasada ou agendada para data em que não haja disponibilidade desse tipo de imunizante.
A medida emergencial do Governo de São Paulo visa garantir o esquema vacinal completo de muitos brasileiros e amenizar os transtornos causados pelo atraso nas doses de Astrazeneca.
A intercambialidade dessas vacinas foi chancelada pelo Comitê Científico do Governo do Estado e pelo Plano Estadual de Imunização (PEI), que embasaram a decisão em estudos da Organização Mundial de Saúde e orientações do próprio Ministério da Saúde.

Compartilhe e faça seu comentário